43 3422-4191     43 9 9974-2004

Marrakech e Tânger unem diversidade cultural e história

Publicado: 13/08/21 às 14h37

Vista do Estreito de Gilbratar (Imagem divulgação)

Com certeza, você conhece um pouquinho do Marrocos, seja pelas lentes da novela O Clone, da rede Globo, ou pelo filme Casablanca. O país realmente é encantador. Reúne inúmeros contrastes, exotismo e história a saltar à vista com as medinas (como são conhecidos os antigos centros cercados de muralhas e ruas estritas). A natureza é um espetáculo à parte, logo na chagada, o visitante é presentado pela vista do Estreito de Gibraltar.

As marcas da colonização francesa ainda estão presentes no idioma, mas o turista também consegue se comunicar em árabe (língua oficial) e dá para arriscar o espanhol, afinal a costa marroquina, ao norte, está a 60 minutos do sul da Espanha de barco, trajeto explorado pelo turismo de ambos países.

Rabat, a capital do país, não tem um turismo tão aquecido quanto Marrakesh, a cidade mais famosa e badalada do Marrocos com seus hotéis, spas e resorts de luxo. Tânger, Fez, Casablanca e Essaouira são outros destinos igualmente procurados pelos turistas, seja por suas praias encantadoras ou por seu comércio atraente e barato.


Marrakech! A “cidade vermelha”

Com quase mil anos de existência, é o destino mais popular entre os turistas no Marrocos. Não à toa, pois há muito o que fazer em Marrakech! A “cidade vermelha”, como é chamada, devido à cor predominante das construções, tem uma energia diferente.

 A cidade mistura o tradicional com o contemporâneo, o que garante uma ótima experiência para os visitantes. Em uma parte de Marrakech, você vai se deparar com locais de cores vibrantes, aromas orientais, passeios em carruagem e muitas riquezas arquitetônicas, como dos palácios e mesquitas.

Já na outra parte, você vai encontrar amplas avenidas, boutiques de luxo e locais festivos. Dois pontos turísticos indicados são o Jardim Majorelle e a Mesquita Koutoubia.

Medina - Medina (ou Almedina) é o nome de antigas cidades muradas, que hoje são a parte histórica do centro urbano. É onde se concentram mercadinhos, mesquitas, jardins e restaurantes em torno de ruas bem estreitas, pelas quais não passam carros.

Praça Jemaa El Fna - Fundada no século XII, é fácil notar toda a excentricidade de Marrakech em um só lugar. Uma grande praça central cercada por cafés e ruas que nos convidam para passeios intermináveis entre as lojinhas e vielas que vão surgindo.

Souk Semmarine - Souk significa mercado, em árabe. Vale lembrar que a personagem Jade, da nostálgica novela O Clone, caminhou por esses mesmos corredores. A Souk Semmarine é uma das várias ruas repletas de lojinhas tradicionais dentro da Medina. Ali você se encantará com a riqueza de cores, aromas e formas. São joias, tecidos, temperos e produtos em geral, vendidos por comerciantes que adoram negociar, não importa em qual idioma.

Jardim Majorelle - Obra mais famosa do pintor francês Jacques Majorelle, que passou 40 anos trabalhando nas pinturas e na jardinagem. Reúne espécies de diversos lugares do mundo, mas a estética remete ao estilo tradicional dos jardins marroquinos. Por isso, é uma explosão de cores e formas incríveis.

Na década de 1980, o designer de moda Yves Saint Laurent adquiriu o jardim, que hoje guarda as cinzas dele.

Mesquita Koutoubia - A maior mesquista de Marrakech tem 1 mil anos e até hoje funciona como templo religioso. Para uma noção do tamanho da Koutoubia, o minarete (torre) tem 70 metros de altura, quase o dobro do nosso Cristo Redentor. Completa esse cartão-postal a pintura avermelhada, que contribui com o apelido de “cidade vermelha”.

Passeio no deserto do Saara - Pela proximidade, uma das opções de o que fazer em Marrakech é visitar o deserto do Saara, um dos maiores do mundo. Tal experiência é uma aventura à parte, que normalmente exige pelo menos 2 dias e 1 noite para um passeio básico.




Tânger: berço de conquistadores e artistas

Ao sudoeste deste ponto onde os lendários Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico se encontram, ou seja, no famoso Estreito de Gibraltar, está a brilhante e enigmática Tânger, uma das cidades mais peculiares e turísticas do norte de Marrocos.

Tânger tornou-se um porto de referência para a grande maioria dos cruzeiros pelo Atlântico, duas das suas principais características. Qualquer época do ano é adequada para viajar a Tânger. Tânger também é conhecida por ser inspiração de diversos pintores, como Henri Matisse, que pintou, em 1912, uma de suas mais belas obras: “Janela em Tânger”.

O azul do Mediterrâneo e do Atlântico, o branco das construções, a brisa que sopra na Baía de Tânger, o burburinho dos bares e dos estreitos caminhos da medina (a cidade antiga) que encantaram Matisse atraíram outros pintores à cidade. Os também franceses Delacroix e Degas, além do anglo-irlandês Francis Bacon e do britânico George Apperley, viram em Tânger fonte de inspiração. E a cidade continua envolvendo e atraindo turistas de todo o mundo.

Em Tânger, além do Grand Souk, vale conhecer Kasbah, a Grande Mesquita e a Gruta de Hércules.

Kasbah - O ponto mais alto da cidade possui excelentes vistas sobre o Estreito de Gibraltar e do país vizinho, Espanha. Também está isolado do resto da Medina por suas paredes, onde abre-se uma porta para um grande pátio, que leva ao antigo palácio Dar el-Makhzem, que hoje abriga um museu.

Grande Mesquita - Construída no mesmo local de uma antiga catedral portuguesa, a Grande Mesquita (Grand Mosque) é uma boa parada e merece uma boa foto. Se tiver a oportunidade, vale a pena conhecer mais sobre a história do lugar.

Cabo Espartel - Situado na costa marroquina, perto de Tânger, o penhasco de 110 metros de altura sobre o mar abriga um farol cuja luz se pode ver a 23 milhas náuticas. O cabo parece com uma ilha quando é visto de alguns pontos, o que acaba atraindo muitos turistas – antigamente era conhecida como Cabo Ampelusia.


Gruta de Hércules -
A gruta, conhecida pela língua local como Grottes d’Hercule, é um dos pontos turísticos mais populares e bonitos de Tânger. A iluminação colocada dentro da gruta deixa o lugar fantástico, além da fenda que tem vista para o mar.