43 3422-4191     43 9 9974-2004

Prefeitura instala placas de sinalização na zona rural de Apucarana

Publicado: 01/07/20 às 11h24

Fonte: Site da Prefeitura | Foto: PMA

Após mapeamento das principais estradas rurais do Município, a Prefeitura iniciou a instalação de placas de sinalização. O trabalho começou pela região do Distrito de Correia de Freitas, onde já foram instaladas 19 placas. Ao todo, nesta etapa, deverão ser identificadas de forma gradativa cerca de 200 estradas, abrangendo todas as regiões do Município.

O prefeito de Junior da Femac afirma que esta é uma iniciativa inédita em Apucarana. “Nesta etapa, estamos fazendo a sinalização das estradas que foram mapeadas. Num segundo momento, pretendemos também colocar placas indicativas de pontos turísticos, como pousadas, cafés coloniais, cachoeiras, igrejas e atrativos da agricultura familiar, entre outros”, cita Junior da Femac.

O mapeamento das estradas foi feito pelo Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan). “O objetivo é dar mais clareza ao cidadão comum. A pessoa que não mora na zona rural e não conhece o lugar que está visitando atualmente encontra dificuldades para se localizar, pois faltam identificações e referências”, pontua Carlos Mendes, superintendente do Idepplan e que está coordenando os trabalhos.

Mendes ressalta que, com o advento de caminhadas na natureza e dos esportes off -road, a zona rural deixou de ser um local exclusivamente de produção agrícola. “As pessoas cada vez mais buscam fugir da rotina da cidade e se refugiar, por determinados períodos, na zona rural, seja através de grupos de jipeiros, motoqueiros e bicicleteiros ou em caminhadas e cavalgadas”, salienta Mendes.

Ao colocar as placas, a equipe responsável também está verificando a situação das estradas rurais. “É gerado um relatório, que depois será encaminhado para as secretarias de Agricultura e de Serviços Públicos. O objetivo é contribuir com o trabalho de recuperação das estradas, auxiliando com informações sobre a situação das mesmas”, observa Mendes.